Ansiedade

Ansiedade

TIPOS DE TRANSTORNO DE ANSIEDADE

A Ansiedade patológica tem como características básicas ocorrerem em alta intensidade, desproporcional ao estímulo existente ou por vezes não havendo motivos reais, podendo haver sintomas que comprometem a saúde física e emocional do indivíduo.

É importante diferenciar Medo de Ansiedade, a saber:

Medo: é a resposta emocional à ameaça real ou percebida. Restrito às situações externas e específicas.

Ansiedade: É uma antecipação da ameaça futura. Não fica restrito às situações externas e específicas.

TIPOS DE ANSIEDADE:

1 – Transtorno de Ansiedade de Separação:

Caracterizada pelo medo ou ansiedade excessiva em função do afastamento dos pais ou aqueles com quem o indivíduo tem maior apego, medo intenso de que algo de pior aconteça a si próprio ou aos seus pais tais como: acidentes, assaltos, morte ou qualquer tipo de afastamento permanente.

Há sofrimento excessivo e prejuízos significativos à criança, ao adolescente ou adulto impactando a convivência social, familiares ou profissionais, pois o medo do afastamento muitas vezes impossibilita o indivíduo de sair de casa, ou participar de qualquer contato social.

Alguns até conseguem afastar-se por curto tempo, porém mediante a garantia de que possam efetuar ligações freqüentes para os pais objetivando alívio de suas tensões.

Sintomas Físicos:

Dor de cabeça, vômitos, náuseas, palpitações, dores abdominais, sensações de desmaios e tonturas (normalmente em adultos).

Manifestações Psicológicas:

Indivíduos com intensa dificuldade de tolerar a distância de pessoas que possuem maior apego manifestam baixa autoestima, pois se sentem humilhadas e medrosas, podendo evoluir para um transtorno de humor ou mesmo de pânico.

2 – Mutismo Seletivo:

Caracterizado por sentimentos de fracasso quando expostos ao meio social, apresentações na escola, ou encontros sociais devido à dificuldade de comunicação, chegando a emitir grunhidos, apontando ou escrevendo quando o indivíduo deseja se referir a algo.

São percebidos comportamentos como timidez excessiva, medo de constrangimento, isolamento e retraimento social, apego, traços compulsivos, negativismo e/ou ataques de birra, o que pode levar ao isolamento social cada vez maior, assim como prejuízos acadêmicos ou profissionais na vida adulta.

Manifesta-se normalmente antes dos 05 anos de idade, porém devido a não atenção clínica passa a ser perceptível somente na entrada para a vida escolar.

Pais com características de inibição social, super protetores ou controladores, podem contribuir para o surgimento do mutismo seletivo.

3 – Fobia Específica:

Medo ou ansiedade acentuada pela proximidade, antecipação da presença ou presença real de um determinado objeto ou situação (elevador, altura, lugares fechados, baratas).

Nestas situações o indivíduo tende a evitar ou suportar a situação com intenso sofrimento e de forma desproporcional em relação ao perigo real, constituindo uma reação exagerada e desadaptativa, que foge ao controle do indivíduo, prejudicando o funcionamento social nas áreas importantes de vida.

Normalmente reconhecem que suas ações são desproporcionais, porém superestimam o perigo em situações reais.

O medo, a ansiedade e a esquiva é persistente, não se lembram da razão para a fobia específica.

A fobia específica pode estar relacionada com superproteção, perda e separação parentais, abuso físico ou sexual.

4 – Fobia Social:

Da mesma forma que a fobia específica, é o medo ou ansiedade acentuada de uma ou mais situações sociais a que o indivíduo é exposto a possíveis avaliações de outras pessoas. Ex: manter uma conversa, interações sociais com amigos ou familiares, ser observado, ou situações que requerem desempenho na frente de outros.

Sentimentos ansiosos de que será avaliado negativamente, rejeitado, humilhado ou constrangido, tende a evitar ou suportar a situação com intenso sofrimento e de forma desproporcional em relação ao perigo real, constituindo uma reação exagerada e desadaptativa, que foge ao controle do indivíduo, prejudicando o funcionamento social nas áreas importantes de vida.

Situações mais comuns que causam aversão ao indivíduo com o transtorno fóbico social são: preocupações com desempenho na vida profissional, e atividades como falar em público, apresentar trabalhos profissionais e acadêmicos.

O indivíduo receia agir de forma a demonstrar seus medos através de rubor, transpiração excessiva, tropeços, tremores, ofender os outros, ser rejeitado.

Tende a se preocupar semanas antes de um evento social, podem ser assertivos ou muito submissos, com menor freqüência controladores. Frequentemente demonstram postura corporal rígida, contato visual inadequado ou falam com voz extremamente suave.

5 – Transtorno de Pânico:

Ataques de pânico são recorrentes e inesperados, caracterizados por ansiedade e desconforto intensos, que atingem forte pico em minutos. O surto abrupto pode ocorrer a partir de um estado calmo ou estado ansioso.

Caracteriza-se pelos seguintes sintomas que variam por intensidade:

  1. Palpitações, coração acelerado, taquicardia
  2. Sudorese
  3. Tremores ou abalos
  4. Sensações de falta de ar ou sufocamento
  5. Sensações de asfixia
  6. Dor ou desconforto torácico
  7. Náusea ou desconforto abdominal
  8. Sensação de tontura, instabilidade, vertigem ou desmaio
  9. Calafrios ou ondas de calor
  10. Parestesias (anestesia ou sensações de formigamento)
  11. Desrealização (sensações de irrealidade) ou despersonalização (sensação de estar distanciado de si mesmo)
  12. Medo de perder o controle ou “enlouquecer”
  13. Medo de morrer

Nota: Podem ser vistos sintomas específicos como: tinido, dor na nuca, cefaléia, gritos ou choro incontrolável.

A Síndrome do Pânico somente pode ser considerada, caso foi seguido em um mês (ou mais) conjuntamente 04 ou mais das 13 características citadas acima. O ataque de pânico pode vir do nada ou com um fator desencadeante.

O indivíduo com Transtorno de Pânico possui a afetividade negativa, crenças de que os sintomas da ansiedade são prejudiciais, períodos rotineiros de medo com elevado nível de incapacidade social, profissional e física.

Pode constar na história pregressa eventos de abuso sexual e físico, tabagismo, estressores identificáveis por um período, drogas ilícitas, doença ou morte na família.

6 – Agorafobia:

Medo ou ansiedade excessiva compreendendo duas ou mais das cinco situações a seguir:

  1. Uso de transporte público
  2. Permanecer em espaços abertos (estacionamentos, mercados, pontes)
  3. Permanecer em locais fechados (lojas, teatros, igrejas, cinemas)
  4. Ficar em fila ou em meio a multidão
  5. Sair de casa sozinho.

Referem-se a situações que são evitadas e requerem a presença de uma companhia ou se suportadas é com intenso medo ou ansiedade.

Há pensamentos de que pode ser difícil escapar ou de que o auxílio pode demorar a chegar.

São medos desproporcionais ao perigo real e normalmente duram mais de seis meses.

Causam prejuízo do funcionamento social, profissional e em outras áreas importantes da vida.

Pode constar na história pregressa do indivíduo eventos negativos na infância (separação, morte de uma dos pais), eventos estressantes como: assaltos ou ser atacado.

7 – Transtorno de Ansiedade Generalizada:

Sentimentos de expectativa, apreensão e preocupação com intensa dificuldade de controle quanto a eventos diversos, e/ou atividade familiar e profissional.

Pode ser diagnosticada na ocorrência de três ou mais dos sintomas abaixo:

  1. Inquietação ou sensação de estar com os nervos à flor da pele
  2. Fatigabilidade
  3. Dificuldade em concentrar-se ou sensações de “branco” na mente
  4. Irritabilidade
  5. Tensão muscular
  6. Perturbação do sono (dificuldade em conciliar ou manter o sono, ou sono insatisfatório e inquieto)
  7. A ansiedade, a preocupação ou os sintomas físicos causam sofrimento clinicamente.

Complicações possíveis

Transtorno de ansiedade generalizada não faz apenas com que o indivíduo sinta-se persistentemente ansioso e preocupado. A doença também pode levar a outras condições de saúde física e mental, incluindo:

  1. Depressão
  2. Abuso de substâncias, como drogas ilícitas e álcool
  3. Problemas para dormir (insônia)
  4. Problemas digestivos ou intestinais
  5. Dores de cabeça
  6. Ranger os dentes (bruxismo)
  7. Transtornos por uso de substância

A preocupação excessiva prejudica a capacidade do indivíduo de fazer as coisas de forma rápida e eficiente, seja em casa, seja no trabalho, toma tempo e energia, sensação de que os nervos estão à flor da pele, cansaço.

A preocupação excessiva pode prejudicar de forma importante a capacidade desses indivíduos de incentivar o sentimento de confiança em seus filhos.

8 – Transtorno de Ansiedade Induzido por Substância/Medicamento

Quadro clínico com predominância de ataques de pânico, ansiedade, obsessões ou compulsões.

Desenvolvem-se durante ou dentro de um mês após a Intoxicação ou Abstinência de Substância de medicamento de acordo com o tipo, quantidade e duração de uso.

Distúrbio caracterizado por intenso sofrimento clínico e prejuízo ao funcionamento social ou ocupacional e/ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.

O Transtorno de Ansiedade Induzido por substância específica, pode ser decorrente da utilização de álcool, Anfetamina (ou Substância Tipo Anfetamina), cafeína, cannabis, cocaína, alucinógeno, inalante, fenciclidina, sedativos, hipnóticos, ansiolíticos, e outra substância desconhecida.

9 – Transtorno de Ansiedade Devido a Outra Condição Médica

Como no Transtorno de Ansiedade Induzido por Substância/Medicamento, o quadro clínico se caracteriza com predominância de ataques de pânico, ansiedade, obsessões ou compulsões.

Uma variedade de condições médicas gerais pode causar sintomas de ansiedade, a saber:

  1. Condições endócrinas (por ex., hiper e hipotiroidismo, feocromocitoma, hipoglicemia, hiperadrenocorticismo)
  2. Condições cardiovasculares (por ex: insuficiência cardíaca congestiva, embolia pulmonar, arritmia),
  3. Condições respiratórias (por ex: doença pulmonar obstrutiva crônica, pneumonia, hiperventilação)
  4. Condições metabólicas (por ex: deficiência de vitamina B12, porfiria)
  5. Condições neurológicas (por ex: neoplasmas, disfunção vestibular, encefalite

10 – Outro Transtorno de Ansiedade Especificado

Características que não satisfazem todos os critérios para qualquer transtorno na classe diagnóstica dos transtornos de ansiedade, porém causam sofrimento significativo ou prejuízo social, profissional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.

11 – Transtorno de Ansiedade Não Especificado:

Usado quando o clínico opta por NÃO ESPECIFICAR a razão pela qual os critérios para um transtorno de ansiedade específico não são satisfeitos e não há informações suficientes para que seja feito um diagnóstico mais específico.

 

Texto de autoria de Selma Alves

Gostou do Artigo?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkedin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest
Selma Alves

Selma Alves

Psicóloga e Palestrante

DEIXE UM COMENTÁRIO